Python – First steps com o Django II – Action/View [UBUNTU]

Alô, terra!
Mais uma futucadinha para o projeto..

No urls.py vamos adicionar nossa home!

url(r'^', 'core.views.home', name='home')

No projeto core (como indicado na url acima), em views, vamos criar um retorno para home (eu chamo isso de action, mas estou meio confusa com nomenclatura aqui rs):

# coding=utf-8
from django.shortcuts import render
 
def home(request):
    return render(request, 'index.html', {'mensagem': 'Teste realizado com success! ♥'})

E por fim, o template (que eu chamo de view rs) deve estar no mesmo projeto que views (ou seja, no core), dentro da pasta templates com o nome indicado no render acima (index.html).

<!DOCTYPE html>
<html lang="en">
        <head>
            <title>Feliz páscoa!</title>
        </head>
<body>
        <h1>{{ mensagem }}</h1>
</body>

Sintaxe de AngularJS! :P
Não esqueça de identar tudo bonitão! :)

Vamos em frente!



Python – First steps com o Django [UBUNTU]

Após muita correria nessas duas ultima semanas, vamos dar mais um passinho! :)

Instalando o Django:

apt-get install python-setuptools
easy_install pip
pip install virtualenv

O setup tools é para instalarmos o pip.
O virtualenv é para conseguirmos administrar varios ambiente com instalações diferentes, ok?

Continuando:

virtualenv wemissgr --no-site-packages
cd wemissgr/
source wemissgr/activate
pip install django

O –no-site-packages é para isolar o ambiente que você está criando do que está na maquina.
Os outros dois comandos é para ativar o ambiente e depois instalamos o django nesse ambiente que está ativado.

Agora para criar o projeto, vamos lá:

django-admin.py startproject NOMEDOPROJETO
python manage.py startapp core

E para rodar, do diretorio do projeto:

python manage.py runserver

E tcharan!
django

No proximo vamos criar uma action nova, ae a vida flui..
Away!

P.S: Me guiei por http://pythonclub.com.br/primeiro-projeto-django-no-linux-com-sublime.html.


Python – Configuração de ambiente [UBUNTU]

Dando continuidade no projetinho Python que eu estava querendo fazer (agora com a idéia finalizada), pensei: porque não testar mais coisas novas? Foi daí que surgiu o Linux novamente e o PyCharm.
Então vamos lá, novamente, mais uma vez, configurando!

O Python já vem instalado no Linux, veja a versão pelo terminal:

python -V

Baixei o PyCharm (community edition) e vem um tar.gz, para executá-lo, pelo que diz o ReadMe precisa, após extrair, executar o pycharm.sh, que está na bin. Porém.. o quão chato é toda hora navegar até a pasta e fazer isso, certo? Então, “path nas variaveis do Windows”, que podemos modificar/verificar da seguinte maneira:

echo $PATH
export PATH=$PATH:/home/my_user/my_application_path/bin
echo $PATH

Porém, verifiquei que após finalizar a sessão o $PATH voltava ao padrão, pesquisei e vi que uma maneira de setar o $PATH forever é colocando o export no /etc/profile

vim_profile

Só para finalizar, instalar o MySQL, Apache e Git (utilizarei o bitbucket.org que tem repositório privado free).

apt-get install mysqld
apt-get install apache2
apt-get install Git

Espero iniciar ainda essa semana esse projeto, vamos ver o que rola. :)

[UPDATE]
P.S.: Para criar um icone na barra para abrir o PyCharm, utilizei o Main Menu (app disponível na Software Center) e coloquei para ele rodar, via terminal, o sh. É coisa linda!

main_menu


Keyboard shortcuts [UBUNTU]

Aloha!

Faz umas 2 semanas que estou dando fuçada no Ubuntu! Que sodadi!

Primeira coisa que pensei foi nos atalhos, apertei o “botão do Windows” e pensei um pouco para ver qual eu ia testar e tchrãn.. tem o mapinha, que belezura, ein? Acho que todo mundo deve fazer isso sem querer hahaha, puta sacada!

keyboard-shortcut

P.S.: SUPER = “botão do Windows”


AngularJS – futucada inicial

Faz um tempinho que dei uma futucada no AngularJS no Code School (os cursos lá são práticos e rápidos, para ter uma base é ótimo #ficadica).
Logo que comecei a fazer alguns sites mais interativos, com algumas requisições AJAX, senti falta de algo que fizesse a gente visualizar o que estava modificando o HTML em runtime, porque, quando você pega uns projetos que rola uns churros.js que está com todo o código do projeto, o choro é livre. Então, achei sensacional a idéia de “javascript declarativo” no HTML, batendo o olho rapidamente dá para imaginar como está o JavaScript e tudo mais, sem contar que minimiza a possibilidade de caos.

A principio o que eu achei maaaaaaaais legalzão foi o “Data Binding de mão dupla”. Vamos à um exemplício para despertar a curiosidade:

<!DOCTYPE html>
<html ng-app="exemplicio">
	<head>
		<meta http-equiv="content-type" content="text/html; charset=UTF-8">
		<script type="text/javascript" src="angular.min.js"></script>
		<script type="text/javascript">
			(function() {
				var app = angular.module('exemplicio', [])
 
				app.controller("MusicaController", function(){
					this.musicas = sonho_medio;
 
					this.altera_musicas = function() {
						if (this.musicas == queen_is_dead) {
							this.musicas = sonho_medio;
						} else {
							this.musicas = queen_is_dead;
						}
					};
				});
 
				var sonho_medio = [
					{ titulo: 'Escapando', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Sobre a violência', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Modificar', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Paz verde', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Mulheres negras', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Sonho médio', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Por paz', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Fragmentos de um conflito iminente', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Hoje', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Cidadão padrão', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Sua bandeira', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Canção para amigos', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Damn\' Lie', artista: 'Dead Fish' },
					{ titulo: 'Lost Soul', artista: 'Dead Fish' }
				];
 
				var queen_is_dead = [
					{ titulo: 'The queen is dead', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'Frankly, Mr. Shankly', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'I know it\'s over', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'Never had no one ever', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'Cemetary gates', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'Bigmouth strikes again', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'The boy with the thorn in his side', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'Vicar in a tutu', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'There is a light that never goes out', artista: 'The Smiths' },
					{ titulo: 'Some girls are bigger than others', artista: 'The Smiths' }
				];
			})();
		</script>
	</head>
	<body ng-controller="MusicaController as musicaCtrl">
		<ul>
			<li ng-repeat="musica in musicaCtrl.musicas">
				{{musica.titulo}} - {{musica.artista}}
			</li>
		</ul>
 
		<input type="button" value="Alterar músicas" ng-click="musicaCtrl.altera_musicas()" />
	</body>
</html>

Alterando o altera_musicas para sua paginação chamando sua API Rest, é coisa linda.
Estou utilizando ele em algumas páginas de um projeto que comecei em Dezembro e até agora está supimpão. Vai que é sucesso!

P.S.: Lembrando que não é solução de tudo na vida. Tenha bom senso no uso, sempre!



Hotspot – Compartilhe sua wi-fi, por wi-fi, no seu Windows 8

Cheguei no hotel, o cara passou a senha da wi-fi e já lançou: “só pode um device por vez”. Tá de brinks, né?
Eu to trampando e tô aqui, limitar acesso por device é muito ridiculo, só pra cobrar mais. E se vem uma familia?
Já cheguei e compartilhei a wi-fi do meu note, agora vai. Fica a dica:

1 – Abra o prompt de comando como administrador.
2 – Digite: netsh wlan set hostednetwork mode=allow ssid=leleka key=123456, onde leleka vai ser o nome da conexão e 123456 será a senha da mesma.
3 – Depois inicie sua rede, digitando: netsh wlan start hostednetwork

4 – Entre em Painel de Controle\Rede e Internet\Conexões de Rede e clique em propriedades da sua Wi-Fi.

5 – Na aba Compartilhamento, check o campo de permissão de compatilhamento de internet e selecione sua conexão criada.

6- Liberem a senha para todos os hospedes, rs.

Enjoy! :)


Django – Firsts steps com Py

Queria dar uma cutucada em Python há eras, tô procrastinando saporra, mas tamo enfim aqui…
A idéia é fazer um sitezinho bobo pra sentir o Django de leve. Tava aqui navegando nos sites de artes da vida e pensei em testar só salvando imagens, recebendo sempre o endereço e exibindo todas numa maçaroca mesmo. A la Pinterest? Não manjo muito, só lembro das imagens bagunçadas.

Vamos começar configurando o ambiente.
Bom, eu fiz algum post aí onde eu já passei o link para instalar o Python. Mas vamos no passo-a-passo, já que não tem muita coisa de Python @ Windows por aí.

Baixei o Python em http://www.python.org/getit/, versão 3.3.3. Instalação é orientada a next next.

Baixei o Django em http://www.djangoproject.com/download/, ultima versão também (1.6) em tar.gz. Descompactei e instalei via linha de comando:

python C:\django\setup.py install

A maioria dos tutoriais que eu achei fazem os primeiros passos com SQLite. Me recuso. Vamos de MySQL!

MySQL eu tô utilizando pelo xampp, baixa aqui http://www.apachefriends.org/pt_br/xampp.html. É moleza, descompactou, abre o control e dá um start no mysql. Simples como a vida.

Agora para instalar o drive é necessário o setuptools https://pypi.python.org/pypi/setuptools, e aí rola o https://pypi.python.org/pypi/PyMySQL. A instalação é no mesmo esquema do Django, install no setup.py.

Ambiente configurado… let’s go!


Trello – Kanban online

Sumi de novo, tava de mudança. Inclusive em breve tem post da vida ai com moveis sustentaveis, hahahah.
Vamos tentar retomar o ritmo aqui novamente mais uma vez de novo! :)

Tinha uns rascunhos aqui de umas coisas que estava vendo um tempo atras, vou começar a liberar. Começando pelo Trello!

Acho que eu já tinha comentado que eu trabalho remoto, com a equipe toda remota. Então para termos alinhamento do que está acontecendo no projeto como um todo fica bem complicado.
Conversei com o @erickwilder e ele me indicou o Trello para “kanban” online, falando porcamente.

É muito foda e é free. <3
Aproveitem!


Páginas:1234567891011